quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

A ALEGRIA

O que é alegria? Como se pode vivê-la plenamente? Muitos se questionam desse modo e quando existe questionamento, dúvida e incerteza é sinal que não se experimentou da verdadeira alegria.
É costume relacionar a alegria juntamente com a felicidade e a paz interior. Algumas dicas, porém, podem ajudar a distinguir o tipo de alegria que se deve desejar.
Alegria é expressa por gestos e comportamento. Cada um se expressa do sorriso para comunicar que está alegre. Sorrir é um dos gestos mais simples que sinaliza alegria. O sorriso demonstra o grau de contentamento que se possui em relação à vida, às coisas possuídas, pelas companhias partilhadas naquele determinado momento da existência.
Estar contente e alegre é o mesmo que expressar agradecimento por aquilo que se vive, pelos estímulos que se recebe. O que causa prazer aos sentidos, causa alegria. Alegria é a expressão do prazer que se está sentindo. Quando a alegria está relacionada ao prazer que se sente por alguma coisa, então, certamente será uma alegria passageira.
Quando, entretanto, a alegria vem da aceitação de um estado de vida, de uma maneira de ser, então ela é uma alegria interior. Está mais relacionada com o íntimo, com a felicidade.
E felicidade é um estado de espírito. A felicidade não perdura apenas por instantes, mas quando alcançada, ela é perene, independendo de situações materiais. Pode-se ser e estar feliz, mas não necessariamente demonstrando euforia, sorrisos e gestos de alegria.
Felicidade está mais relacionada à paz interior e ao grau de conhecimento das coisas. Nem sempre a alegria estará relacionada à paz interior, pois pode ser provocada por estímulos artificiais. A felicidade, por sua vez, não precisa de estímulos, pois é adquirida, em geral, quando se controlam os desejos e estes não mais afetam o humor e o estado do ser.
Quem encontra a paz interior e fica de bem consigo mesmo, também encontra a felicidade e, certamente, alcançará a alegria verdadeira, algo como “um tesouro que a traça não come, nem a ferrugem corroi”, como descreveu Jesus.
Alegria, a verdadeira, é contagiante e divina!
J. Rubens Alves

2 comentários:

Anônimo disse...

Adoreiii! Alegria!!!!!

J. Rubens Alves disse...

Obrigado! Continue nos seguindo.
Alegria!!!!!!
J. Rubens Alves