terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

QUE TAL?

Contei-lhes sobre aquela mãe que chorou no texto "Por Falar em Amor". Fui rever, então, um dos mais lindos textos do Novo Testamento sobre o Amor: 1Cor 13, 1-13.
É bom você conferir. Parte desse texto, inclusive, mesclado com soneto de Camões, até foi utilizado em uma canção da Legião Urbana, ‘Monte Castelo’.
Amor é ato generoso e gratuito. Por isso o amar é uma arte, um exercício, um processo longo de transformação. Não se pode aceitar outro caminho senão o do Amor.
Isso vale para pais, filhos, esposos e todos os humanos. O exercício do amor é mais leve e simples para quem aprende a doar-se.
É fardo duro para quem não entendeu que amar é doar-se e só quer ficar na cômoda posição de receber, sem retransmitir as vibrações do amor recebido.
Todo que assim age se revela egoísta e estará criando uma antítese ao ato recebido. Amor não combina com egoísmo.
Amor combina com perdão incondicional, generosidade, compaixão, partilha. Uma pessoa amorosa é desprendida, pluralista e generosa, compreensiva.
Quando alguém recebe uma dádiva de verdadeiro amor, seja da forma como vier, experimenta o que de mais puro existe naquele que provocou tal centelha.
Amor é o halo de ligação entre a Terra e o Céu.
Trata-se de algo tão puro, que todo gesto de amor desnuda seu praticante, deixando-o indefeso. Indefeso e com possibilidades de ser sugado e até ferido.
Se alguém não vive o amor, nem compreendeu o que é o amar, receberá qualquer gesto de amor como se fosse uma obrigação de quem o praticou.
O egoísta quer sempre receber mais, seja o que for, de quem está ao seu lado, em especial de quem sabe amar.
A natureza de dominação do egoísta se evidencia em forma de imposição, exigência e truculência, porque sabe que a pessoa amorosa é extremamente dócil pela própria essência do seu amor.
Pais, filhos, esposos, todos, inclusive eu e você: Que tal reaprender a amar!
J. Rubens Alves


Nenhum comentário: