sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

CRIAR SEMPRE

Nada como a arte para enlevar os corações. A criatividade do ser Humano é excepcional. Refletindo: todas as criaturas dão continuidade à Criação, num efeito elíptico, rumo ao infinito. Nunca param de criar e recriar.
A criatividade do ser humano pode ser empregada para o bem ou para o mal.
É o livre arbítrio de cada um que determinará para onde e para o que será direcionado esse dom da criatividade.
Se para o lado ruim, como muitos fazem, então o resultado é sombrio trazendo tristeza, angústia e sofrimento para a natureza e para a humanidade.
Se a criatividade é utilizada para o bem, o efeito é de luz proporcionando alegria, paz e esperança porque reflete uma pequena porção de um paraíso.
Está nas mãos de cada um transformar os corações e modificar a partir de si, da família, ali mesmo, o lugar onde se mora e o meio em que se habita.
Todos são capacitados para isso e devem assim agir, procurando sentir através do olfato, da visão, do paladar, da audição, enfim com todo o seu ser, o significado divino presente em cada detalhe da beleza existente nessa ‘nave mãe’ Terra. Somente através dessa forma de sentir é que cada um poderá se tornar uma célula multiplicativa de alegria, entusiasmo e positivismo.
Será bom curtir um pouco de arte apresentada no Encerramento da Expo de Shangai! Belo conjunto cênico e musical. Bom proveito!
J. Rubens Alves

2 comentários:

Claudioc B. Castro disse...

Quando o mundo bate forte e dói
é sempre muito difícil entender e aceitar porque a vida tem de ser assim porque não podia ser de um jeito menos sofrido porque as coisas são como elas são e não
como a gente gostaria que fossem.
Tudo parece feio e sem sentido depois de um fracasso.
Não há consolo para uma grande perda ou decepção.
Não há alívio para a tristeza que fica quando um sonho se vai
e a única vontade que a gente tem é de ir junto,sumir, desaparecendo sem deixar rastro ou direção.
Não é simples sobreviver com os nossos planos em ruínas.
Não é fácil recomeçar do nada ou,
as vezes, com menos ainda.
O caminho da reconstrução é lento e pesado para a pouca energia que nos resta depois de uma queda.
Mas é exatamente nessas horas que a gente tem que soprar as cinzas de ideais em frangalhos e descobrir, em meio aos destroços de uma batalha perdida,
a nossa enorme grandeza, o nosso imenso valor,a nossa incrível capacidade de recomeçar sempre,
mesmo com o amor próprio ferido de morte e a fé golpeada na sua própria raiz.
É esse desafio que faz a vida digna de ser vivida,
Viva a vida do jeito que for, pra ser vivida!!
Claudio B. Castro

J. Rubens Alves disse...

É isso aí Cláudio,
Não se consegue nada de uma vez, apesar de sempre desejarmos o contrário.
Nada é noss. Somos somente administradores dos mistérios de Deus. E nossa própria vida é um mistério...
Como você diz, o desafio é aprender a vivê-la com dignidade, do jeito que ela for, porque ela é o maior dom. O dom absoluto!
Entender esse ensinamento não é de hora para outra, mas um processo demorado ao longo da própria existência.
Agradeço seu comentário muito sincero.
J Rubens Alves