domingo, 20 de novembro de 2011

PALAVRAS E GESTOS

Como é grande a responsabilidade daquele que, de alguma forma, exerce influência no pensamento, no comportamento e na vida das pessoas. Governantes, políticos, religiosos, escritores, professores e tantos outros com capacidade de influenciar.
Grande maioria desses expoentes profere grandes discursos de suas ‘tribunas’, capazes de convencer e arrebatar com sua rica verborréia, grandes multidões de pessoas simples e desacostumadas ao uso de seu senso crítico para analisar o conteúdo e as reais intenções.
Não é bom fazer parte daquele grupo de escribas e fariseus ao qual se referiu o Mestre: “Pois colocam fardos pesados e difíceis de suportar, nos ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los”
Quantos governantes e políticos impõem ao povo esses fardos pesados e deles se livram legislando em causa própria...
Quantos dirigentes religiosos, da mesma forma, imputam pesadas penas e peso de conduta e delas eles próprios se esquivam por comodidade.
Há os que falam tanto em nome de Deus, suas coisas e preceitos, abençoam e ungem, mas, no momento de mostrar suas ações concretas demonstram o contrário ao que apregoam. Cegos guiando outros cegos.
Governando, impondo mãos, ungindo e ensinando, porém, mais em conformidade com suas doutrinas pessoais, do que com a Verdadeira Doutrina.
Suas palavras são vazias porque não passam de palavras sem as ações e sem obras concretas.
A obra de Deus se realiza através de ações concretas, testemunhos vívidos e não com as palavras e gestos vazios.
As palavras são enriquecedoras se baseadas em ações que testemunham o que é dito.
É bom, por isso mesmo, dar uma pausa, e refletir sobre aquilo que se fala e escreve e sobre a responsabilidade que advém dessas manifestações, mesmo que revestidas de simplicidade, porque elas possuem a força de motivar e provocar mudanças positivas, ou de arrasar ainda mais o ser humano já debilitado.
J. Rubens Alves

domingo, 6 de novembro de 2011

ESCREVER SEMPRE


Difícil é medir, com precisão, o quanto os textos aqui publicados ao longo do ano, tocam e motivam todos aqueles que visitam o Blog.
O número de acessos, em apenas doze meses, precisamente desde dezembro de 2010, beira a casa dos 25 mil visitantes, somados os três contadores. Acessando o controle reservado das estatísticas, sessenta por cento desse número de acessos, são de leitores que retornam espontaneamente ao Blog para acompanhar os novos textos e tantos outros arquivados.
Então, diante disso, é um compromisso continuar com a publicação desses textos, não muito longos, mas que cooperam com o aguçamento do sentido crítico de cada um dos leitores, diante de tantas situações corriqueiras, sempre invocando esforço contínuo ao respeito pela vida, dom maior de Deus, e o respeito pelos semelhantes.
“Se eu me calar, as pedras falarão”, indica a responsabilidade de cada um de nós perante o mundo, porque todo aquele que tiver algo de bom, ou um recado do Bem a partilhar, deve agir como profeta, alertando e admoestando.
O único cuidado: ser coerente com aquilo que diz demonstrando, com ações, que as palavras vão bem além do discurso vazio.
Eu digo, mas também faço tal qual aconselho.
Quando demoro em postar algum texto, sobre qualquer assunto, recebo indicações de que muitos ficam em sentido de espera. Obrigado!
J. Rubens Alves